Califórnia

Califórnia. (Drama); Elenco: Caio Blat, Virgínia Cavendish, Clara Gallo, Paulo Miklos; Direção: Marina Person; Brasil, 2015. 90 Min. #FestivalDoRio2015

Depois de receber o prêmio Variety no Festival Ventana Sur, na Argentina, “Califórnia” está na competição de longas de ficção da première Brasil. É um filme adolescente que versa sobre o primeiro amor, as descobertas da vida, no melhor estilo “Confissões de Adolescentes” (2013) dando um enfoque do olhar do jovem em relação ao mundo, mas com uma mistura de “Boa Sorte” (2014) e faz uma viagem pela década de 80.

cartaz-do-filme-california-de-marina-person-1444058255709_300x420

Estela (Clara Gallo) é uma adolescente como a maioria de sua idade, vivendo uma fase de descobertas de mundo e do amor. E seu sonho é ir para a Califórnia visitar seu tio Carlos (Caio Blat). Um belo dia recebe a notícia de que sua viagem terá que ser adiada, pois seu tio está de volta ao Brasil. Carlos está com AIDS e vem terminar seus dias perto de sua família. Esse é o fio condutor da história que mergulha o espectador na década de 80 com “Blitz”, “Kid Abelha”, “The Cure”, “David Bowie”, “Red Hot Chili Peppers”, na música;  “Blood Simple” de Joel Cohen, no cinema; Alberto Camus, na literatura; e John Lennon, nos pensamentos cotidianos. “Califórnia” é uma viagem pelos cheiros e sons da década de 80, inclusive com o advento da AIDS, que abalou a década, e nos faz ver como a abordagem, a maneira de se lidar, e a diferença em torno da expectativa de vida mudaram. Marina Person aborda e abarca tudo isso com muita leveza.

Still de cena do longa metragem ' California ' , dirigido por Marina Person - Produção Mira FilmesLocal: São PauloData: Março de 2014 Foto: Aline Arruda

Still de cena do longa metragem ‘ California ‘ , dirigido por Marina Person – Produção Mira FilmesLocal: São PauloData: Março de 2014 Foto: Aline Arruda

O filme foi roteirizado por Francisco Guarnieri, em seu primeiro longa de ficção, Mariana Veríssimo de “O Contador de Histórias” (2009) e pela própria Marina Person, que também estreia na ficção, tendo no currículo curtas e um documentário. O longa traz, além de Caio Blat de “Muitos Homens num Só” (2014), Paulo Miklos, ator e vocalista da banda Titãs. A fotografia é um primor e quem assina é Flora Dias de “O Duplo” (2012) de Juliana Rojas.

15244158

“Califórnia” é uma história sobre o primeiro amor e o primeiro soutien, alinhavando uma mistura de aspectos relativos à época. Pode-se dizer que o longa versa sobre o que era ser jovem na década de 80 e faz um passeio ideológico/cultural e político do período. Aplaudido no final da sessão no Festival do Rio, o longa é um sopão maravilhoso para ser degustado em moderadas e mansas colheradas pela galera que viveu a época, que ouviu e dançou aquelas canções,  que gritou pelas Diretas Já! E que se assustou com a AIDS. Um achado!

  • Festival do Rio 2015 – Mostra Première Brasil: Competitiva Longa de Ficção.
  • Estreia no circuito: 03/12/2015
  • Atualização: o filme ganhou o prêmio de melhor ator coadjuvante para Caio Horowicz no Festival Internacional de Filmes do Rio de Janeiro; e  prêmio da juventude na 39ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.  (atualizado em 01/12/2015)

Advertisements

About Sonia Rocha

Crítica Cinematográfica, Professora de Filosofia e História, Mestre em Educação (UERJ) e Pesquisadora de Cinema e Educação.
This entry was posted in crítica cinematográfica and tagged , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s