Quanto Tempo o Tempo Tem

Quanto Tempo o Tempo Tem (Documentário); Participações: Andre Comte Sponville, Marcelo Gleiser, Nélida Piñon; Direção: Adriana Dutra; Brasil, 2016. 76 Min.

A documentarista Adriana Dutra, criadora do Festival Brasileiro de Filmes de Miami e outros mundo afora, entra em cartaz com seu mais recente longa-metragem: “Quanto Tempo o Tempo Tem”. O documentário partiu de um momento de reflexão sobre o excesso de afazeres e a sensação de um tempo menor. Fazendo parte de um trilogia, que a cineasta designou como sendo de ‘catarse’, começou com “Fumando espero” (2009) e tem como projeto final um longa que verse sobre o medo. “Quanto tempo…” é a segunda parte e versa sobre as várias dimensões do tempo – pelo menos aquelas a que estamos aptos a enxergar e compreender – com filósofos, cientistas, escritores, religiosos, dentre outros.

Quanto-tempo-o-tempo-tem-capa

“Quanto Tempo o Tempo Tem” foi um projeto desenvolvido durante cinco anos entre pesquisas, captação de recursos, filmagens e pós-produção em parceria com Walter Carvalho de “Raul – O início, o fim e o meio” (2012), na co-direção e na fotografia, arremata por Bacco Andrade. O longa-metragem faz conflagrações filosóficas, científicas, religiosas e poéticas (por que não? ) sobre o tempo. Versa sobre a história da aquisição da noção de tempo pelos seres humanos, a invenção da organização temporal, a relatividade da noção e sensação de tempo pelas diversas culturas e contextos de acordo com os cotidianos, sobre os efeitos da tecnologia na noção de tempo, e do progresso da humanidade através dos tempos.  Toca na questão do transumanismo e na dicotomia infinitude do tempo x finitude humana.

cena-do-filme-quanto-tempo-o-tempo-tem-1459347294260_956x500

Físico Brasileiro Marcelo Gleiser

O documentário é um desfile de entrevistados de peso, como o filósofo André Comte Sponville; o físico Marcelo Gleiser, o tecnólogo Tom Chafield; o cosmólogo Luiz Alberto Oliveira; o cientista futurista Raymond Kurzweil; o neurocientista Stevens Rihen; o rabino Nilton Bonder, a monja budista Coen Sensei e o sociólogo Domenico de Masi, dentre outros. Narrado pela própria Adriana Dutra, o filme se torna uma conversa séria sem ser chata, em que em alguns pontos o espectador se identifica com suas questões. Roteirizado por Flávia Guimarães juntamente com Adriana “Quanto Tempo o Tempo Tem” é um roadmovie epistemológico sobre o tempo, que foi de Paris a Nova York, de Londres a São Paulo, passando pelo Rio de janeiro numa empreitada de entrevistas muito bem costuradas.

domenico_1

Sociólogo Domenico De Masi

O Documentário de Adriana Dutra e Walter Carvalho é uma boa sacada que transforma a sala escura numa ágora de reflexões epistemológicas com muita leveza. Em tempos em que somos reféns do tempo reservar um tempo para pensar sobre o tempo e, possivelmente, promover algumas mudanças, não é perda de tempo. Vale o ingresso!

filmes_10717_tempo14

Advertisements

About Sonia Rocha

Crítica Cinematográfica, Professora de Filosofia e História, Mestre em Educação (UERJ) e Pesquisadora de Cinema e Educação.
This entry was posted in crítica cinematográfica and tagged , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s