Um dia Perfeito

Um Dia perfeito (A Perfect Day) (Comédia/Drama/Guerra); Elenco: Benício Del Toro, Tim Robbins, Olga Kurylenko, Melanie Thierry, Fedja Stukan; Direção: Fernando León de Aranoa; Espanha, 2015. 106 Min.

Ganhador do prêmio máximo da Espanha de melhor roteiro adaptado – o Goya – “Um Dia Perfeito” de Fernando León de Aranoa é uma história que parte de uma necessidade simples do cotidiano para a reflexão sobre uma guerra fratricida, a da antiga Iugoslávia (1991-2001), que passa pelas diferentes lógicas que operam no espaço/tempo de uma mesma circunstância, pela proteção das gerações futuras do ódio e pela convivência pacífica dos diversos níveis de maturidade política de seus personagens. O longa-metragem é uma viagem pelos variados prismas e camadas do cotidiano misturando comédia, drama e guerra e dá a última palavra à vida e a sua soberania.

um-dia-perfeito

O ano é 1995, uma força de ajuda humanitária  da ONU está na Balcãs, em plena guerra civil Iugoslava para colaborar na resolução de questões do cotidiano, simplificando a burocracia  de guerra e mediando os conflitos étnicos, como, por exemplo, retirar um corpo de um poço que abastece uma região inteira ou desentupir fossas que possam gerar contaminação e aumentar o número de mortos. O eixo norteador do roteiro é a retirada e um corpo que fora jogado num poço e a falta de corda para esse serviço. O comboio se divide e vai em busca da  corda, nessa procura atravessam em seu caminho um menino, Nikola (Eldar Residovic), cujos pais haviam viajado e que está atrás de uma bola; os burocratas da ONU com suas logísticas desconexas com a realidade seguindo seus manuais; as crenças locais do vilarejo sobre a retirada do corpo e uma ex-namorada de Mandrú (Benício DelToro), Katya (Olga Kurylenko). Percorrendo um território minado pelas forças em guerra e aprendendo com os aldeões do vilarejo, o comboio de ajudantes, estranhos à terra e aos costumes, vivem uma saga atrás da tal corda que culmina em aprendizados belíssimos sobre convivência.

aperfect-day-v1-460409-620x413

O roteiro foi adaptado do livro Dejarse Llover de Paula Farias pelo próprio diretor e com colaboração de Diego Farias de La Conjura de los Locos e ganhou o Goya – o Oscar espanhol – de melhor roteiro adaptado. Contando com nomes que chamam público como Benício Del Toro de “21 Gramas” (2003) e Tim Robbins de “Sobre Meninos e Lobos” (2003) – ambos oscarizados por tais – o filme é o caminhar sobre os acontecimentos de um dia na Guerra Civil da Iugoslávia com toda a desordem que os acontecimentos do cotidiano apresentam. E esse caos também é personagem nessa história de guerra que vai para além da narrativa quando apresenta a metáfora imagéticas de uma Iugoslávia com sua identidade esfacelada através do espelho despedaçado da casa de Nikola, e ainda encontra espaço para versar sobre o fratricidio. A partir da procura de uma corda muitos assuntos são ramificados, inclusive a incapacidade da ONU de relativizar suas diretrizes. Mas tudo isso com leveza, sem cenas de guerra ou de confronto. Simplesmente abordando a convivência e as possibilidades de se resolver problemas.

Um-Dia-Perfeito-trailer-a

Fernando León de Aranoa, diretor e roteirista premiado por seus filmes, tem no elenco principal uma miscelânea de nacionalidades, um porto riquenho (Benício), um americano (Tim) , uma francesa (Melanie Thierry), uma ucraniana (Olga) e um Bósnio (Fedja Stukan) numa metáfora inteligente de unidade. A trilha sonora é assinada pelo espanhol Arnau Bataller mais conhecido por séries de TV e curta-metragens e a fotografia é do conhecido Alex Catalán de “Pecados Antigos, Longas Sombras” (2014). Mas o forte mesmo é o roteiro.

aPerfect-Day-10

“Um Dia Perfeito” é uma metáfora da vida com seus movimentos e nossas limitações, a partir de circunstâncias simples do cotidiano. É um painel da vida se fazendo acontecer com seu poder de dar conta do que não resolvemos. É a metáfora da imperfeição do cotidiano como perfeição para os imperfeitos que somos e uma lição de que a vida se impõe. Soberbo!

Advertisements

About Sonia Rocha

Crítica Cinematográfica, Professora de Filosofia e História, Mestre em Educação (UERJ) e Pesquisadora de Cinema e Educação.
This entry was posted in crítica cinematográfica and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s