Coletiva de Imprensa com Octavia Spencer

Octavia Spencer: coletiva de imprensa pelo lançamento do filme “A Cabana”

No último dia 27, numa tarde nublada na orla do Rio de Janeiro, Octavia Spencer, atriz oscarizada por “Estrelas além do Tempo”  recebeu a imprensa especializada para uma conversa sobre o filme “A Cabana” no qual ela protagoniza juntamente com Sam Worthington. Numa conversa formal, como era de se esperar numa entrevista internacional, Octavia respondeu a questões a cerca da mensagem do filme, sobre fé, sobre seu preparo para fazer a personagem, ninguém menos, que deus. E outras questões pertinentes ao filme.

Quanto ao preparo para fazer uma personagem tão importante e de uma forma tão inusitada octávia respondeu que leu o livro, ganhou outros de seu diretor e teve a orientação de um pastor amigo seu que ajudou a conhecer mais a doutrina cristã. Quanto a sua motivação foi transmitir parte do que sentiu lendo o livro e teve inspirações maternas para fazer o papel, o fez a partir das características do amor de uma mãe.

Sobre as expectativas sobre a ação da mensagem num momento mundial tão conturbado, Octávia disse que violência e ódio sempre existiram no mundo, mas há um lado que deve ser buscado, que é o do bem. E que se o filme ajudar a promover esse autoexame e oferecer a cura nesse sentido que ela ficaria feliz.

Acerca da influência do filme em sua vida, ela disse que vive sua vida sendo a mesma pessoa, e que no cotidiano faz ao outro o que gostaria que lhe fizessem. Disse que com a experiencia do filme amadureceu espiritualmente, mas não radicalmente, apenas o suficiente. Disse ainda que acredita em Deus, faz sua meditação cotidiana e se considera cristã. Mas é diferente se preparar para encarnar um papel tão forte. Ali estava a serviço do papel e o encarou como se fosse o de uma mãe.

Na seara dos questionamentos religiosos feitos por Missy (Amélie Eve), a menininha, Octavia disse que esse é um dos aspectos bonitos sobre a história, o de como uma menina levanta as questões , dá as respostas e não julga. O quanto ela é sempre curiosa e voltada para o amor. Então, o livro e o filme trazem perguntas,  e respostas também. “A Cabana” é uma bela história sobre julgamento das pessoas.

Advertisements

About Sonia Rocha

Crítica Cinematográfica, Professora de Filosofia e História, Mestre em Educação (UERJ) e Pesquisadora de Cinema e Educação.
This entry was posted in Entrevista and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s