Amityville: O Despertar

Amityville: O Despertar (Amityville: The Awakening) (Horror/Thriller); Elenco: Jennifer Jason Leigh, Bella Thorne, Cameron Monaghan, Jennifer Morrison, Kurtwood Smith; Direção: Franck Khalfoun; USA, 2017. 85 Min.

Histórias de terror com casas mal assombradas é o que se tem de ‘clichezão‘ no gênero. Exauridas todas as fórmulas para fazer desse enredo algo interessante o francês Franck Khalfoun insere ares de documentário a uma história bastante conhecida e consegue o mínimo: coerência entre o livro, os filmes anteriores e a abordagem escolhida sobre a casa de Amityville. Inclusive inserindo takes do primeiro longa, o de 1979. Com uma sacada simples, e por isso, genial ele consegue, de fato, despertar algum tipo de interesse a atenção ao manjado tema.

Depois de 40 anos de silêncio, a casa mal assombrada da cidade de Amityville recebe moradores novos. Uma família de mulheres, cujo único homem, o filho mais velho, James (Cameron Monaghan), irmão gêmeo de Bella (Bella Thorne), está em estado vegetativo. Aproveitando a fama da casa, a mãe resolve usa-la para numa tentativa de curar o moço. E á aí que as coisas, já esperadas, acontecem. Porém, a graça é que a bordagem não é de suspense, sabe-se tudo o que está acontecendo, as explicações são dadas ancoradas no livro e no filme de origem, que fazem parte da história. Isso dá um fôlego novo ao enredo que, dentro de seu universo, ganha tons de realidade.

Como chamariz de público estão no elenco a indicada ao Oscar por “Os Oito Odiados” Jennifer Jason Leigh e a estrela de Once Upon a Time Jennifer Morrison. O diretor Franck Khalfoun, que também roteirizou o longa, conseguiu aproveitar o gancho de Amityville para revitalizar a história de alguma forma.

“Amityville: O Despertar” é um filme de terror mediano, que não sai do lugar comum, mas também não tem nada que o desabone. Nem fede, nem cheira. Mas, vale o ingresso para quem curte o gênero.

 

About Sonia Rocha

Crítica Cinematográfica, Professora de Filosofia e História, Mestre em Educação (UERJ) e Pesquisadora de Cinema e Educação.
This entry was posted in crítica cinematográfica and tagged , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s